Entre as Sombras e a Luz: Conhecendo o Conflictus aeternus

Padrão

Card Games são, para a maioria de nós, nerds e geeks, uma grande de fonte de diversão. Seja no Magic, no Pokemon ou em outros títulos  a estratégia e a sorte envolvendo as cartinhas sempre são geradores de grandes emoções e disputas.

O problema cá por estas terras verde-amarelas, porém, sempre foram os mesmos: preço incompatível com nossa realidade, atrasos na distribuição, produto adequado à realidade de outros países.

Bom, em agosto de 2012, esse panorama mudou, com o lançamento do CONFLICTUS AETERNUS.

Um jogo nacional. Programado pra seguir as necessidades do nosso mercado e os anseios dos jogadores brasileiros, o Conflictus é a resposta pra todos os problemas encarados pelas comunidades brasileiras de TCGs. Um sonho distante que toma forma e uma direção real.

 

A história gira em torno do conflito das facções da luz (representada pelos solarianos) e sombras (representada pelos vultanianos) numa dimensão paralela à terra, e que as vezes influenciam e “escapam” para nossa existência.

Mas vamos falar do jogo em si. Vence o jogo quem tombar todo o mons (deck) do oponente primeiro. Ataques de guerreiros e efeitos fazem as cartas serem tombadas, e cartas que compram cobram seu poder te deixando mais próximo da derrota!

Regras básicas:

· O baralho deve conter exatamente 50 cartas.
· Para cada classe de cartas existe um número máximo de cópias da mesma carta por baralho:
– Amuletos – 3 cópias por baralho
– Guerreiros – 2 cópias por baralho
– Equipamentos – 2 cópias por baralho
– Relíquias – 1 cópia por baralho
– Fontes – não existe limite de cópias

É decidido quem começa (par ou ímpar , jogar dados, etc.). Depois de escolhido quem começa, cada jogador embaralha seu mons, dá para um adversário cortar , e compra 6 cartas. Se você não gostar da sua mão inicial, pode embaralhá-la com o seu mons, comprar 7 cartas e escolher um oponente para descartar uma carta aleatoriamente. Após o descarte, se ainda não gostar da sua mão, pode embaralhá-la com o mons (a carta descartada continua no mortis), comprar 8 cartas e descartar 2 aleatoriamente. Este processo pode ser repetido até você comprar 10 cartas e descartar 4 cartas aleatoriamente (com isso o seu mortis deve possuir 10 cartas). Eu particularmente gostei muito dessa regra de troca de mão, adiciona um efeito tático a mais no jogo.

Os turnos são divididos em fase principal e ataque. Na fase principal, você compra uma carta e depois pode jogar guerreiros, relíquias, equipamentos e baixar 1 fonte. Na fase de ataque, você escolhe quais dos seus guerreiros ataca seu oponente e no final pode sacrificar quaisquer cartas fixas que possuir

Outra característica interessante é que você pode jogar suas cartas também na fase principal do seu oponente, o que torna o jogo muito mais dinâmico. Todas as resoluções se dão obedecendo a ordem de prioridade no turno, sendo o jogador ativo do turno o primeiro a desenrolar suas ações.

A primeira edição do CONFLICTUS AETERNUS conta com 152 cartas divididas entre luz, sombra e neutras. A primeira expansão prevista se chamará “Segundo Impacto” e deverá ser lançada em fevereiro de 2013

Por ser um jogo novo, poucas estratégias foram criadas e muito temos a descobrir ainda. Porém, a organização do jogo promete um 2013 recheado de eventos premiere e muitos lançamentos para o publico do jogo, além de um circuito competitivo culminando no campeonato Nacional, a ser disputado em novembro de 2013. Você pode conhecer mais em http://www.conflictus.com.br

 

E você, está pronto para encarar essa nova dimensão?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s